Últimas Notícias




Polícia Civil de Minas Gerais esclarece mudanças para obtenção da CNH

JORNALISMO | 13/08/2019 14:21 COMENTAR 7
Voltar
Polícia Civil de Minas Gerais esclarece mudanças para obtenção da CNH
Foto : reprodução Internet



O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) anunciou, recentemente, novas regras para aquisição ou adição de categoria da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). As principais mudanças são a diminuição da carga horária das aulas, a suspensão por 12 meses das aulas teóricas e práticas para obter a Autorização para Conduzir Ciclomotor (ACC), e também o fim da obrigatoriedade do simulador de direção na categoria B.
 
Desde o anúncio, muitos candidatos à habilitação optaram por aguardar o início da vigência das novas regras, em 16 de setembro, para iniciar o processo. Mas, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) esclarece que os candidatos não precisam aguardar para se inscreverem em um Centro de Formação de Condutores (CFC).
 
“O sistema será adaptado para que, a partir do dia 16 de setembro, todas as mudanças sejam válidas, mesmo para quem já iniciou o processo. Portanto, aqueles alunos que já tiverem cumprido a carga horária exigida pela Resolução 778 do Contran estarão aptos a realizar a prova de direção. Aqueles que estiverem fazendo as aulas práticas deverão apenas complementar as horas exigidas pela nova regra”, explica a delegada Flávia Portes, chefe da Divisão de Habilitação do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG).
 
O que vai mudar?
 
O simulador de direção para categoria B (carro), obrigatório desde 2016, passa a ser facultativo. Desta forma, houve redução de cinco horas para as aulas práticas na categoria, que passa a ter a mesma carga horária que a categoria A (motocicleta), 20 horas/aula, no mínimo. Se o candidato optar pelo uso do simulador, poderão ser realizadas até cinco aulas no equipamento, e as demais 15 horas no automóvel.
 
No caso das aulas noturnas, a exigência será de uma hora/aula prática para alunos em formação para conduzir motos, carros ou ciclomotores.
 
A partir do início da vigência da Resolução, quem desejar obter a “ACC”, que permite conduzir as “cinquentinhas”, poderá, durante um ano, realizar apenas as provas teórica e prática, sem a necessidade de frequentar as aulas. Mas, se o candidato for reprovado, será necessário fazer as aulas práticas.  Após um ano, a carga horária para tirar a ACC passa de 20 horas para 5 horas e poderão ser feitas no ciclomotor do aluno.
 
 
Fonte : Agência Minas




Nome: Mariana
Postado no dia 14/08/2019 - 08:29
Cidade: Muriaé-MG

O que deveria ser mudado é a postura dos avaliadores da banca de examinação, pois alguns estão ali apenas para prejudicar alunos que precisam da CNH. Não tem padrão de avaliação e cada um analisa de uma forma. Ex: Um examinador pede para andar mais ao canto, outro já fala que o aluno está andando muito no canto e que é errado. Está uma vergonha essas divergências, alunos não sabem o que é certo e errado mais, critérios mudam e prejudica o aluno. Ser aprovado em Muriaé está uma dificuldade, por isso muitos tiram em outros estados.
Nome: wew
Postado no dia 14/08/2019 - 13:27
Cidade: wewe-ewe

ew
Nome: Verdade
Postado no dia 14/08/2019 - 14:46
Cidade: Muriaé-MG

Tem que mudar é os avaliadores, que se acham verdadeiros Deuses cada um tem seu próprio critério, e todas as vezes prejudicam alguns alunos que já não basta a pressão ainda são ignorantes e secos, parece que estão ali nos fazendo um favor não sua obrigação. Todos os alunos que passam por avaliação iram reclamar, tem que mudar isso gente.
Nome: Mariana
Postado no dia 14/08/2019 - 17:01
Cidade: Muriaé-MG

Verdade, concordo plenamente com o que expôs. Perguntam quantas tentativas fizemos, que não olhamos direito para fora( deve querer que o aluno fique com a metade do corpo para fora). Já fui reprovada por dar seta muito próximo e em outra prova pois sinalizei com muita antecedência, difícil né !! Tem excelentes examinadores, mas realmente chegam com a cara fechada e mal humor. Não sei para que ajustamos retrovisor e banco se temos que por a cara para fora correndo risco de vir motoqueiro e acertar o aluno. Fora ainda que falam ao seu tempo, mas logo após começa a mandar o aluno agilizar..
Nome: Verdade 2
Postado no dia 14/08/2019 - 17:32
Cidade: Muriaé-MG

Concordo!!!Apoiado a troca de examinadores. Alguns são ríspidos e ficam apressando o aluno como se estivessem ali de favor. Realizei meu exame na gávea e fui calmamente arrumar retrovisor, banco o examinador que é o coordenador pediu para ir mais rápido. Já estava nervosa, pois entrou com uma cara que só Deus.No percurso foi ríspido falando que não olhei o suficiente para fora ao sair com o veículo, sendo que olhei, e , ainda perguntou quantas vezes estava tentando e senti super mal. Fiz outra tentativa no João 23 e ao errar na balizar o examinar com grosseria disse que tinha sido reprovada e ele próprio finalizou colocando no ponto morto e disse com deboche boa sorte na próxima vez. Todos deveriam fazer igual nós, vir aqui e expor o que estão fazendo com nós alunos.
Nome: Valéria
Postado no dia 15/08/2019 - 14:56
Cidade: Muriaé-Minas Gerais

Realmente os examinadores precisam ter critérios de avaliação. Não tem padrão. Tem dia que eles reprovam simplesmente por reprovar. Gastei um horror de dinheiro , fui reprovada 4 vezes e desisti. Vou para Itaperuna.
Nome: patricia
Postado no dia 16/08/2019 - 15:30
Cidade: muriaé-mg

os examinadores deveriam passar por testes para saber se estão aptos a serem examinadores. uma vergonha mesmo. falta de empatia,de profissionalismo. quando essa politicagem irá acabar??????