Últimas Notícias




Chuva castiga região e várias cidades estão embaixo d´água. Previsão para Muriaé é de temporal até domingo

JORNALISMO | 20/02/2021 10:21 COMENTAR 0
Voltar
Chuva castiga região e várias cidades estão embaixo d´água. Previsão para Muriaé é de temporal até domingo
Em Carangola o Rio subiu seis metros e toda a região central ficou alagada



Três casas desabaram em Carangola. Uma completamente e duas pela metade


Em Divino, alguns pontos próximo ao rio seguem alagados


Várias cidades e distritos da zona da mata estão embaixo d´água, devido as fortes chuvas que assolam a região nos últimos dias.

Em Divino, os moradores presenciaram a maior enchente de sua história. Na sexta-feira a água chegou até a praça principal da cidade, algo que nunca havia acontecido. A informação é de que durante a noite, o volume abaixou e deixou, por toda a parte, rastros de destruição nas residências e comércios. Na sexta-feira, uma mulher de 44 anos morreu soterrada. A vítima foi identificada como Sheila Peres Dorneles Costa, de 44 anos. O esposo e seus três filhos sobreviveram.

Na sexta-feira, o prefeito Mauri Ventura (PT) declarou estado de emergência no município. Há registros de pontes danificadas que ligam a área urbana com a zona rural.

Em Carangola a situação é ainda pior. O rio que corta o município subiu seis metros. Essa também já é a maior enchente registrada na cidade.

Nas últimas horas o volume de água diminui, mas ainda há registros, neste sábado, de locais em que a água ainda está no segundo andar de residências. A Defesa Civil da cidade informou que 26 famílias estão desabrigadas e cinco desalojadas. Três casas desabaram, uma totalmente e duas pela metade.

Previsão para Muriaé

Neste sábado, a Defesa Civil de Muriaé emitiu um alerta e atravéz de um vídeo, informou que a previsão para as próximas 72 horas é de um acumulado de chuva de 80 milímetros.

Segundo os agentes, o nível do rio Preto e Muriaé abaixaram nas últimas horas, entretanto, o volume do rio Glória subiu nas últimas horas. 

A recomendação para a comunidade ribeirinha é para ficar em alerta. Se o nível do rio continuar subindo, a orientação é abandonar os imóveis e procurar um local seguro para se abrigar.

Da mesma forma o alerta serve para os moradores que residem em encostas. É fundamental abandonar o imóvel se começar a surgir rachaduras e deslizamento de terra.

 

Fonte : Rádio Muriaé